publicado em: 02/02/2021

ARTHUR LIRA VENCEU

Deu a lógica. Quem compra o Centrão vence eleição, barra impeachment e faz o diabo. Jair Bolsonaro foi às compras, e com 302 votos elegeu Lira. 

Fosse em outros tempos seria fácil celebrar a vitória como obra e fruto de um governo forte. Só que o governo não é forte. As verbas é que são. 

Basta avaliar a posição dos deputados federais do nosso Ceará. Quase todos são governistas aqui, e apoiam Camilo Santana, não por ideologia, mas por mera e pura conveniência. 

Em Brasília uma boa parte deles é Bolsonaro, não por ideologia, mas porque o governo tem dinheiro para comprar, tem cargos e verbas para distribuir. Votaram em Arthur Lira como um negócio. 

O que esperar do vencedor? Aliado do ex-presidiário Eduardo Cunha, foi governista roxo no tempo do PT, e depois ajudou a cassar Dilma.  É ficha suja, adora recurso público. É a cara do Centrão. 

Ao cutucar Rodrigo Maia ele disse uma frase um tanto infeliz: "temos que retirar o superpoder da presidência". Ora. E como ele pretende exercer o poder na Câmara Federal? Sendo fraco? 

A fatura virá depois. Pelos cálculos o governo liberou mais de R$: 3 bi para garantir os votos que elegeram Lira. Bolsonaro queria derrotar Rodrigo Maia e jogou pesado. Venceu. 

De rescaldo temos o governo cada vez mais nas mãos do Centrão, filme que já vimos antes com Michel Temer e com Dilma Rousseff. 

Quanto a Bolsonaro pode comemorar, mas não terá vida fácil com o Centrão, pois os "serviços de delivery político" que ele oferece são sempre muito caros, e implacáveis com a fatura. 

Se Arthur Lira continuar sendo o que é, a relação de lua-de-mel entre ele e Jair Bolsonaro será curta. "Fechados com o presidente", só os fanáticos que tudo aceitam e dizem sim. 

Então não se surpreendam se em alguns meses as redes do bolsonarismo atacarem Lira com mais virulência que contra Rodrigo Maia. 

E o país como fica? E daí, porra?   

FOTO 
Sérgio Lima / AFP
Fonte: Cláudio Teran

Publicado por Cláudio Teran
"Um cara que não se cansa de correr na direção contrária" Formado em Administração pela Universidade Federal do Ceará/UVA Cetrede