publicado em: 28/05/2020

Crise econômica no futebol nacional, o que fazer?

Com o avanço rápido da Covid-19 por todo o planeta, a vida de toda a sociedade global sofreu mudanças drásticas, obviamente essas mudanças são para o bem de todos, para que a pandemia cause o mínimo de estragos possíveis. 

As aglomerações foram totalmente proibidas e como consequência nós os amantes do futebol nos deparamos com algo inédito: o esporte mais popular do planeta completamente parado. 

Com o esporte parado e sem dinheiro entrando no cofre dos clubes, muitos se perguntaram como o futebol iria sobreviver financeiramente nessa era de dificuldades que o mundo passa. O futebol europeu foi um dos pioneiros a mostrar saídas para uma eventual crise com vários clubes realizando acordos para redução salarial de seus jogadores. 

Mas como não é nenhuma novidade, aqui no Brasil a história é bem diferente, os clubes enfrentam muitas dificuldades para chegar a uma redução salarial e um confronto com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) reacende várias atritos entre dirigentes do futebol brasileiro, então pelo visto podemos notar que não é uma tarefa fácil manter as contas dos clubes brasileiros equilibradas nesse período, mas obviamente uma volta a força em meio a isso tudo também não me parece um caminho viável. 

Uma readequação do calendário nacional para os moldes europeus também pode estar sendo debatida entre cartolas do nosso futebol, ou seja os campeonatos começariam em agosto e terminariam em maio de 2021, mas neste momento essa solução pode estar sendo descartada por conta de conflitos com as cotas de tv que são essenciais para os clubes. 

O futebol é uma paixão em nosso país e ele se manter vivo é essencial, mas estamos falando de saúde pública algo que implica cuidados extremamente detalhados para que a situação dessa pandemia não piore em nosso país, é um pedido quase impossível de ser atendido mas neste momento os interesses econômicos dos clubes não devem ser prioridade.

Foto: globoesporte

Publicado por Yuri Melo
Um jornalista em formação sempre em busca de mais conhecimento.