publicado em: 14/05/2020

O DESESPERO DO JAIR

Ele já sabe que a investigação do STF comprova que Moro disse a verdade. E teme investigações da PF contra os filhos. E ainda tem a COVID. 

Diante disso, "Zero Cinco" foi muito mal durante uma videoconferência com empresários da FIEC nesta quinta-feira (14/05). O tom adotado mostrou com clareza o que se passa com ele. 

- É guerra, tem que jogar pesado com estados.

- Por mim tava tudo aberto não tinha fechado nada ou quase nada tinha sido fechado. 

- Esses governadores e esses prefeitos cometem um crime de desobediência civil. Estão disputando entre eles quem interna mais eleitores. 

- Vai faltar dinheiro pra pagar servidor público. 

- Tem que adotar o isolamento vertical (detalhe, Jair não explica como. Nem sabe o que é).

 - Vai morrer mais gente, muito mais, tem que tentar, tem que usar a cloroquina aí talkey? 

NÍVEL BAIXO 

A videoconferência era para ter sido feita em modo "na maciota", sem a presença de jornalistas, que não foram convidados. Mas a imprensa descobriu e acessou os diálogos podres que rolaram. 

Participaram alguns dos maiores empresários do país, Abílio Diniz, e chefões das montadoras de automóveis, companhias aéreas, farmacêuticos, comércio varejista, banqueiros, gente do setor agropecuário, siderurgia, entre outros. 

Embora a elite opte por não confrontar Jair, o tom de decepção foi geral, já que eles notaram um presidente perdido, que não diz coisa com coisa, só quer se eximir da responsabilidade. 

O ministro da Saúde não participou. Da posse dele para cá o Brasil passou a comprar menos respiradores, menos EPI's e está investindo dez vezes menos no combate a COVID. 

Paulo Guedes, o ministro, também foi mal. "Ele não tem um plano, uma fórmula, um projeto e fica com evasivas, não vai ao ponto. Parecem ele e o presidente fora da realidade", disse um empresario sem se identificar. 

"Só abriremos a economia no dia em que as autoridades chegarem a um consenso", disse o dono da Smart Fit, Edgard Gomes Corona, sensato apesar do sobrenome. 

PASTELÃO 

Alguém, entre os empresários, apareceu em uma cena íntima, tomando banho, durante a videoconferência. Bolsonaro viu, pediu pra parar a transmissão, riu, e o presidente da FIESP, Paulo Skaf se desculpou.

Esse ato foi o resumo da videoconferência marcada e movida pela inutilidade. 

Pior é o descaso com a vida. Até o ponto em que encerro este texto morre-se quase mil por dia de Coronavírus no país. 

A conta passa dos 13 mil mortos, e Jair só pensa em "normalidade", "eleições", trata os governadores como "adversários", e vai sabotando o país que diz que preside. 

E trata os doentes como "eleitores"! 

Tem pior que o Jair. Seus apoiadores...


Fonte: Cláudio Teran