publicado em: 11/05/2020

OUTRA HISTÓRIA DO BRASIL DE SEMPRE

IBGE informa. O 1% mais rico ganha R$ 28.659 reais por mês. Os 50% mais pobres ganham meros R$: 850 mensais. Realidade que não muda.

Os abastados embolsam 33,7 vezes mais. 

A maioria, a turma dos 850 reais mora mal, não conta com serviços públicos de qualidade, é o lado que sofre mais com a violência urbana, e é decisivo para eleger e reeleger.  

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD) Contínua, do IBGE, também informa que a parcela dos 10% que ganham mais detém 42,9% da massa de rendimentos. 

Boa parte dessa galera tem CNPJ. Sobra para os 10% mais pobres, a turma do CPF, apenas 0,8% da totalidade da riqueza nacional. 

O Nordeste (R$ 569) e o Norte (R$ 633) são as regiões com as menores médias de rendimento mensal. É o "ganho" de metade da população mais necessitada. Gente que "se vira" com a metade ou menos de um salário mínimo.

E é decisiva em eleições. 

Muda governo, briga-se por partidos, idolatram-se políticos a direita e a esquerda. Mas o essencial no Brasil nunca muda. É o país dos desiguais. É por isso que as filas na Caixa Econômica para receber o auxílio emergencial de R$: 600 reais estão como estamos vendo país afora...

Fonte: Cláudio Teran